Saúde ao seu Alcance


Menopausa e climatério

Postado dia 23/11/2018

 

É muito comum confundir menopausa e climatério, já que ambos tratam de uma fase específica da vida das mulheres.

Mas é preciso entender que são coisas diferentes: a menopausa é a última menstruação da vida da mulher, o final de seu ciclo reprodutivo. Já o climatério é o nome usado para o conjunto de sintomas causados pelas variações hormonais, que surgem antes e depois da menopausa.

Geralmente a menopausa acontece entre os 45 e 55 anos e quando ocorre antes desse período é chamada de menopausa precoce. A menopausa só é confirmada como diagnóstico depois que a mulher passa 12 meses sem menstruar.

No período que antecede a menopausa, normalmente, surge o climatério que se apresenta com:

- Fogachos ou ondas de calor;

- Sudorese;

- Episódios súbitos de sensação de calor na face, pescoço e parte superior do tronco;

- Palpitações;

- Vertigens;

- Cansaço.

Esses sintomas aparecem como consequência das variações hormonais típicas dessa fase.

Climatério e menopausa: diagnóstico

O diagnóstico do climatério leva em consideração os sintomas, exame clínico e alguns exames laboratoriais de sangue, além dos exames de rotina que devem ser repetidos anualmente: Papanicolau, ultrassom transvaginal e densitometria óssea. Já a menopausa, como falamos, só tem o diagnóstico confirmado posteriormente, depois de 12 meses sem que a mulher menstrue.

As irregularidades na duração dos ciclos menstruais e na quantidade do fluxo sanguíneo, dificuldade para esvaziar a bexiga, dor para urinar e incontinência urinária, ressecamento vaginal, alterações na pele, cabelos e unhas que costumam ficar mais fracos e quebradiços, deposição de gordura na região abdominal e perda de massa óssea são comumente identificados nessa fase e os sintomas se intensificam com a diminuição progressiva das concentrações dos hormônios sexuais femininos.

Tratamento

O tratamento consiste em terapia de reposição hormonal, mas deve ser feito sempre com orientação e acompanhamento médico. Assim, é bem possível aliviar a maioria dos sintomas e garantir uma melhor qualidade de vida.

Outros aspectos também devem ser levados em consideração e ajudam a melhorar essa fase da vida:

- Alimente-se de maneira saudável, inclua frutas, verduras, fibras e oleaginosas na dieta, para que o seu corpo receba os nutrientes necessários;

- Pratique exercícios físicos com regularidade. Além de serem importantes para o seu bem-estar físico, eles contribuem para o bem-estar emocional e ajudam a controlar as oscilações de humor;

- Pratique técnicas de relaxamento como ioga, meditação ou outras técnicas de relaxamento, que vão ajudar a diminuir o estresse e a ansiedade;

- Evite ingerir álcool e cigarro.

 

Voltar para Home Ver todos